Programa Radar Anticorrupção lança Guia de Interação com o Setor Privado

A publicação visa orientar gestores e servidores do MInfra sobre boas práticas no contato e interação com a iniciativa privada.

Na busca por um ambiente de conformidade ética, o Ministério da Infraestrutura lançou, no âmbito do Programa Radar Anticorrupção, um Guia de Interação com o Setor Privado. Nele constam princípios, diretrizes e procedimentos para situações objetivas nas quais os servidores do ministério são instruídos quanto à conduta na relação com agentes privados. 

Guia Rápido é mais uma iniciativa do Programa Radar Anticorrupção, e tem como objetivo destacar as diretrizes do Ministério da Infraestrutura no tema do combate à corrupção. O programa está subordinado à Subsecretaria de Governança e Integridade, comandada por Fernanda Oliveira, delegada da Polícia Federal cedida ao Minfra. De acordo com Fernanda, o material foi construído para destacar as diretrizes do Programa Radar Anticorrupção. “A intenção é ilustrar o compromisso da Pasta com princípios éticos, honestidade e transparência, comunicando, de forma clara e simples, os procedimentos que devem ser adotados por todos que, de alguma forma, se relacionam com o MInfra”, destacou. 

Baixe aqui Guia de Interação com o Setor Privado

BALANÇO – Desde o início do Programa, em maio deste ano, já passaram pelas mãos da delegada 81 denúncias, das quais 60 foram encaminhadas para o Tribunal de Contas da União (TCU), Controladoria-Geral da União (CGU), Advocacia-Geral da União (AGU) e Polícia Federal (PF). Além disso, 320 análises de integridade foram realizadas. 

COMBATE À CORRUPÇÃO – O Radar Anticorrupção foi lançado em maio e está sendo desenvolvido em cooperação entre o Ministério da Infraestrutura, Ministério da Justiça e Segurança Pública, Controladoria-Geral da União (CGU), Advocacia-Geral da União (AGU) e Polícia Federal (PF). O programa tem o objetivo de aprimorar a gestão pública a partir da adoção de medidas voltadas à prevenção, à supervisão e ao enfrentamento de riscos de fraude e de corrupção no MInfra.

O programa é composto por cinco pilares. Entre eles, a “Supervisão Ministerial”, pilar focado em visitas in loco, análise de documentos, fluxos e processos, a fim de identificar vulnerabilidades nos órgãos vinculados ao MInfra; a “Conexão Integridade”, que envolve o compartilhamento de informações com os demais parceiros do programa; o “Profissionais do Progresso”, que regulamenta o processo de seleção e de avaliação de integridade para ocupação de cargos no ministério; o “Canal Transparência”, que estimula, por meio de campanhas permanentes, a utilização dos canais oficiais de denúncia; e o “Guia Rápido de Conduta Ética”, que promove a disseminação de boas práticas e orienta o comportamento dos servidores.

 

FONTE Assessoria Especial de Comunicação | Ministério da Infraestrutura